IEM, IP-RAM

Instituto de Emprego da Madeira, IP-RAM


Reativar Madeira

Promover a reintegração profissional de pessoas desempregadas de longa e de muita longa duração;

Propiciar um contacto com o mercado de trabalho, em contexto de formação, através da aquisição de competências, obedecendo a um plano de estágio, com vista ao reingresso no mercado de trabalho.

Destinatários

Esta medida de emprego destina-se a desempregados inscritos no Instituto de Emprego da Madeira, IP-RAM, há pelo menos 12 meses, e que se encontrem numa das seguintes situações:

  • Tenham entre os 31 e 44 anos de idade, habilitados com qualificação de nível 2 ao 8 do Quadro Nacional de Qualificações (QNQ) e que não tenham sido abrangidos por uma medida de estágios financiados pelo IEM, IP-RAM, nos 12 meses anteriores ao início da medida;
  • Níveis
    Qualificação
    Nível 12.º ciclo do Ensino Básico
    Nível 23.º ciclo do Ensino Básico
    Nível 3Ensino Secundário
    Nível 4Ensino Secundário c/ dupla certificação (cursos tecnológicos ou profissionais)
    Nível 5Ensino Secundário c/ curso de especialização tecnológica
    Nível 6Licenciatura
    Nível 7Mestrado
    Nível 8Doutoramento
  • Tenham idade mínima igual ou superior a 45 anos, independentemente do nível de qualificação;
  • Tenham idade mínima igual ou superior a 55 anos e não detenham nível de qualificação.

À exceção dos estágios curriculares, dos estágios de duração até 3 meses e dos estágios obrigatórios para acesso à profissão em causa, não poderão ser colocados desempregados que tenham tido uma anterior relação com a entidade que apresenta a candidatura a este programa de emprego.

QUAL A DURAÇÃO DO ESTÁGIO?

12 meses, não prorrogáveis.

Entidades Enquadradoras

Podem candidatar-se à medida REATIVAR Madeira as pessoas singulares ou coletivas de direito privado com ou sem fins lucrativos, que preencham os requisitos gerais descritos na legislação aplicável, nomeadamente terem a situação contributiva regularizada perante a Administração Fiscal e a Segurança Social.

Os apoios financeiros comparticipados pelo IEM, IP-RAM, serão reembolsados a partir do 15º dia do seguinte mês, sendo da responsabilidade da entidade efetuar o pagamento ao estagiário, assim como, os devidos descontos para a Segurança Social.

A entidade deverá ainda, atribuir um orientador de estágio para acompanhamento do(s) estagiário(s), não podendo o mesmo orientar mais de três estagiários sob a sua orientação nas medidas de emprego em execução.

Direitos do estagiário

O candidato ao REATIVAR Madeira tem direito a:

  • Bolsa de estágio mensal (*) em função do QNQ;
  • Níveis
    Valor bolsa mensal a pagar pela entidade
    Sem nível de qualificaçãoIAS (443,20€) = 443,20€
    Nível 1 ou 2IAS (443,20€) = 443,20€
    Nível 31,2 x IAS (443,20€) = 531,84€
    Nível 41,3 x IAS (443,20€) = 576,16€
    Nível 51,4 x IAS (443,20€) = 620,48€
    Nível 6 ou 71,65 x IAS (443,20€) = 731,28€
    Nível 81,75 x IAS (443,20€) = 775,60€
    As bolsas são pagas pelas entidades enquadradoras e estão sujeitas à tributação em sede de IRS e às contribuições para a Segurança Social (TSU).
  • Subsídio de alimentação idêntico ao valor fixado para os trabalhadores que exercem funções públicas, independentemente dos valores dos subsídios praticados para a generalidade dos trabalhadores da entidade enquadradora, fixando-se em 4,77€/dia por cada dia útil de prestação de atividade no ano de 2022.
  • Transporte ou subsídio de transporte;
  • Os estagiários têm direito a que a entidade enquadradora assegure o respetivo transporte entre a sua residência habitual e o local do estágio. Quando a entidade não assegura este transporte, então o estagiário tem direito ao pagamento de despesas de transporte em montante equivalente ao custo do passe em transporte coletivo ou, se, comprovadamente, não for possível a sua utilização, ao subsídio de transporte mensal no montante equivalente a 10% do IAS, ou seja, 44,32€/mês no ano de 2022.
  • Seguro de acidentes de trabalho;
  • O estagiário tem ainda direito, ao fim de cada período de 6 meses de ocupação, a um período de 5 dias úteis de descanso, devendo obrigatoriamente ser gozado no mês seguinte, com exceção do último período, o qual deve ser gozado no penúltimo mês do estágio.
  • O pagamento dos apoios da bolsa, subsídio de alimentação e transporte é da responsabilidade da entidade enquadradora.

Comparticipação Financeira

A comparticipação financeira do IEM é efetuada com base na modalidade de custos unitários, por mês e por estágio, com base nos seguintes valores:

  • a) Nas pessoas coletivas de direito privado sem fins lucrativos:
    • • 80% do valor da bolsa;
    • • 95% do valor da bolsa, caso integrem estagiários nas condições da alínea c) do n.º 1 do artigo 14.º da Portaria n.º 127/2015, de 30 de julho, na sua redação atual. (*)
  • b) Nas pessoas singulares ou coletivas de direito privado com fins lucrativos:
    • • 65% do valor da bolsa;
    • • 80% do valor da bolsa, caso se verifique uma das seguintes situações:
      • • Entidade com 10 ou menos trabalhadores e se trate do 1.º estágio;
      • ou
      • • Integrem estagiários nas condições da alínea c) do n.º 1 do artigo 14.º da Portaria n.º 127/2015, de 30 de julho, na sua redação atual. (*)
    • • 95% do valor da bolsa, caso integrem no 1.º estágio, estagiários nas condições da alínea c) do n.º 1 do artigo 14.º da Portaria n.º 127/2015, de 30 de julho, na sua redação atual (*) e seja uma entidade com 10 ou menos trabalhadores.
    (*) A bolsa mensal tem um acréscimo em 5 pontos percentuais, no caso de integrar os seguintes destinatários:
    • Pessoas inscritas como desempregadas no IEM há mais de 24 meses;
    • Pessoas inscritas como desempregadas no IEM com idade igual ou superior a 45 anos;
    • Pessoas inscritas como desempregadas no IEM com deficiência e incapacidade igual ou superior a 60%;
    • Inscritos como desempregados no IEM e que integrem família monoparental;
    • Pessoas cujos cônjuges ou pessoas com quem vivem em união de facto se encontrem igualmente inscritos no IEM como desempregados;
    • Vítimas de violência doméstica;
    • Ex-reclusos e aqueles que cumpram ou tenham cumprido penas ou medidas judiciais não privativas de liberdade e estejam em condições de se inserirem na vida ativa;
    • Toxicodependentes em processo de recuperação.
  • c) Alimentação, valor para o subsídio de refeição da generalidade dos trabalhadores que exercem funções públicas, fixando-se em 4,77€/dia no ano de 2022;
  • d) Transporte, 10% do IAS: 44,32€/mês no ano de 2022.
  • e) Seguro de acidentes de trabalho, no valor de 3,296 % do IAS: 14,61€ no ano de 2022.
(*) – Comparticipação excecional e temporária ao abrigo da Portaria n.º 484/2020, de 9 de setembro, alterada pelas Portarias n.ºs 562/2020, de 18 de setembro, 754/2020, de 19 de novembro, 302/2021, de 7 de junho e 883/2021, de 21 de dezembro.
Quadro resumo dos montantes máximos mensais e por estagiário que as entidades enquadradoras podem receber:

Entidade Privada sem fins lucrativos
Nível de qualificação
80% da Bolsa
Somatório do SA, ST e S (*)
Total
95% da Bolsa
Somatório do SA, ST e S (*)
Total
Sem nível de qualificação
354,56 €
163,87 €
518,43 €
421,04 €
163,87 €
584,91 €
Nível 1 e 2
354,56 €
163,87 €
518,43 €
421,04 €
163,87 €
584,91 €
Nível 3
425,47 €
163,87 €
589,34 €
505,25 €
163,87 €
669,12 €
Nível 4
460,93 €
163,87 €
624,80 €
547,35 €
163,87 €
711,22 €
Nível 5
496,38 €
163,87 €
660,25 €
589,46 €
163,87 €
753,33 €
Nível 6 e 7
585,02 €
163,87 €
748,89 €
694,72 €
163,87 €
858,59 €
Nível 8
620,48 €

163,87 €
784,35 €
736,82 €
163,87 €
900,69 €
Entidade Privada com fins lucrativos
Nível de qualificação
65% da Bolsa
Somatório do SA, ST e S (*)
Total
80% da Bolsa
Somatório do SA, ST e S (*)
Total
95% da Bolsa
Somatório do SA, ST e S(*)
Total
Sem nível de qualificação
288,08€
163,87 €
451,95 €
354,56 €
163,87 €
518,43 €
421,04 €
163,87 €
584,91 €
Nível 1 e 2
288,08 €
163,87 €
451,95 €
354,56 €
163,87 €
518,43 €
421,04 €
163,87 €
584,91 €
Nível 3
288,08€
163,87 €
509,57 €
425,47 €
163,87 €
589,34 €
505,25 €
163,87 €
669,12 €
Nível 4
374,50 €
163,87 €
538,37 €
460,93 €
163,87 €
624,80 €
547,35 €
163,87 €
711,22 €
Nível 5
403,31 €
163,87 €
567,18 €
496,38 €
163,87 €
660,25 €
589,46 €
163,87 €
753,33 €
Nível 6 e 7
475,33 €
163,87 €
639,20 €
585,02 €
163,87 €
748,89 €
694,72 €
163,87 €
858,59 €
Nível 8
504,14 €
163,87 €
668,01 €
620,48 €
163,87 €
784,35 €
736,82 €
163,87 €
900,69 €
(*) O montante máximo mensal do subsídio de alimentação (SA=104,94€), transporte (ST=44,32€) e seguro (S=14,61€) a que as entidades enquadradoras, totalizam o valor de: 163,87€;

Candidatura

A candidatura é apresentada ao IEM, IP-RAM, pelas entidades enquadradoras, mediante o preenchimento do formulário online presente na Plataforma de Candidaturas a Programas de Emprego.

A data pretendida de início à medida de emprego terá que corresponder a 45 dias seguidos após a submissão da respetiva candidatura.

Adiantamos que, em norma, para o formulário de candidatura deste programa, será necessária a seguinte documentação:

  • Constituição da empresa / Estatutos;
  • Certidão permanente / Ata de nomeação dos corpos sociais;
  • Situação contributiva perante a Segurança Social;
  • Situação contributiva perante as Finanças;
  • Declaração de início de atividade nas Finanças;
  • Documento bancário comprovativo do IBAN;
  • Currículo profissional do orientador de estágio;
  • Certificado de habilitações do estagiário (caso seja indicado pela entidade).

Prémio de emprego

Podem beneficiar do prémio de emprego as pessoas coletivas de direito privado com ou sem fins lucrativos que, no prazo máximo de 60 dias consecutivos a contar da data fim do estágio, apresentem o respetivo formulário acompanhado do contrato de trabalho a tempo inteiro, sem termo ou com termo de duração não inferior a 12 meses. Este apoio financeiro permitirá a criação líquida de postos de trabalho, através da candidatura online na Plataforma de Candidaturas a Programas de Emprego.

O Prémio de Emprego reveste a natureza de subsídio não reembolsável no valor de 8 e 4 vezes o valor correspondente ao Indexante dos Apoios Sociais (IAS), por cada posto de trabalho criado, mediante a celebração de contratos de trabalho com ou sem termo, respetivamente.

ContratoApoios Financeiros
Termo Certo4 x IAS (443,20€) = 1.772,80€
Sem Termo8 x IAS (443,20€) = 3.545,60€

Nos casos em que os postos de trabalho sejam preenchidos por pessoas com deficiência e/ou incapacidade igual ou superior a 60%, o referido apoio é de 10 ou 6 vezes o valor correspondente ao IAS, consoante sejam contratos celebrados sem termo ou a termo, respetivamente.

Documentação a entregar no decurso da medida
Documentação a entregar para Prémio de Emprego

Portaria n.º 127/2015, de 30 de julho | Cria e regulamenta a medida REATIVAR Madeira que promove a reintegração no mercado de trabalho ou reconversão profissional de desempregados de longa duração e desempregados de muito longa duração

Despacho n.º 139/2022, de 5 de abril | Atualiza os valores das tabelas previstas, no âmbito das medidas/programas de emprego.

 

Despacho n.º 548/2021, de 30 de dezembro | Atualiza os valores das tabelas previstas, no âmbito das medidas/programas de emprego.

Portaria n.º 484/2020, de 9 de setembro | Define e regulamenta, a título temporário e excecional, as alterações aos montantes da comparticipação financeira do Instituto de Emprego da Madeira às entidades enquadradoras, com ou sem fins lucrativos, e a duração dos estágios profissionais.
  • Alterada pela Portaria n.º 883/2021, de 21 de dezembro | 4ª alteração que, a título temporário e excecional, procede à prorrogação da duração dos programas/medidas de emprego para as candidaturas que dêem entrada até 31 de março de 2022.
  • Alterada pela Portaria n.º 302/2021, de 7 de junho | 3ª alteração que, a título temporário e excecional, procede à prorrogação da duração dos programas/medidas de emprego para as candidaturas que dêem entrada até 31 de dezembro de 2021.
  • Alterada pela Portaria n.º 754/2020, de 19 de novembro | 2ª alteração que, a título temporário e excecional, procede à prorrogação da duração dos programas/medidas de emprego para as candidaturas que dêem entrada até 30 de junho de 2021.
  • Alterada pela Portaria n.º 562/2020, de 18 de setembro | 1ª alteração que introduz um aumento nas comparticipações financeiras às entidades enquadradoras/promotoras e procede ao alargamento da duração dos estágios profissionais.